Ebserh contratará mais de 6 mil profissionais

Justiça solta trio envolvido no massacre de Suzano

Após quase 1 ano Justiça solta trio envolvido no massacre de Suzano.


Quase 1 ano atrás o Brasil assistia um dos maiores massacres em escola da história do país. Em 13 de março do ano passado um homem e um adolescente mataram sete pessoas na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP).
O menor Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz de Castro, 25, foram ex-alunos da escola e logo após cometer os crimes um foi morto e o outro cometeu suicídio.

De acordo com a polícia além dos dois jovens que perderam a vida nessa tragédia, três homens foram acusados de envolvivemento no massacre e presos. Eles estavam cumprindo à pena em Tremembé, na Penitenciária 2 e nesta última quinta-feira 13 de fevereiro foram soltos por volta das 17h20.

Cristiano Cardias de Souza, Geraldo de Oliveira Santos e Adeilton Pereira dos Santos, cumpriam pena por serem suspeitos no fornecimento de armas e munições usadas no massacre, foram benefíciados e soltos por conta de uma decisão da Vara Criminal de Suzano.

De acordo com informações da Secretaria da Administração Penitenciária, os três suspeitos foram libertados através de um alvará de soltura que concede essa liberdade provisória.


Com as investigações ficou esclarecido que Geraldo, de apelido Buiu, vendeu um revólver cal.38. Essa venda foi por feita por Cristiano, de apelido Cabelo, e que também teria vendido as munições que foram usadas no massacre.

Adeilton também foi preso pela suspeita de envolvimento na venda de munições para a arma que foi utilizada no massacre. O quarto suspeito, Marcio Germano Masson foi preso pela mesma acusação, porém á Justiça concedeu liberdade em novembro de 2019.

Comentários